Trava-línguas

A ave da viúva voou na viola do vovô.

A batina do padre Pedro é preta.

A chave do Chevette do chefe Chaves está no chaveiro.

A fiadeira fia a farda do filho do feitor Felício.

A Iara agarra e amarra a rara arara de Araraquara.

A lontra prendeu a tromba do monstro de pedra e a prenda de prata de Pedro, o pedreiro.

A pinta picou a pinta do pinto pintado.

A rosa perguntou à rosa qual era a rosa mais rosa. A rosa respondeu para a rosa que a rosa mais rosa era a rosa cor de rosa.

A rua de paralelepípedos é toda paralelepipedada.

A serrilha do serrote do carpinteiro range serrando a ripa verde.

À sombra da amoreira Dora namora. No ramo da goiabeira a cigarra mora .

A tia limpa o prato com o trapo, o trapo limpa o prato da tia.

A vaca malhada foi molhada por outra vaca molhada e malhada.

Alô, o tatu taí? – Não, o tatu não tá. Mas a mulher do tatu tando, é o mesmo que o tatu tá.

Amo a ama, mas a ama ama o amo.

Aranha, ararinha, ariranha, aranhinha.

Atrás da pia tem um prato, um pinto e um gato. Pinga a pia, apara o prato, pia o pinto e mia o gato.

Atrás da porta torta tem uma porca morta.

Bagre branco, branco bagre.

Bote a bota no bote e tire o pote do bote.

Cá há eco? – Cá eco há. – Que eco é que há cá? – Cá há o eco que aqui há.

Caixa de graxa grossa de graça.

Casa suja, chão sujo.

Chega de cheiro de cera suja.

Cinco bicas, cinco pipas, cinco bombas. Tira da boca da bica, bota na boca da bomba.

É muito socó para um socó só coçar.

É preto o prato do pato preto.

É um dedo, é um dado, é um dia. É um dia, é um dado, é um dedo. É um dedo, é um dia, é um dado. É um dado, é um dedo, é um dia.

Em rápido rapto, um rápido rato raptou três ratos sem deixar rastros.

Enquanto Bia brinca, Bianca briga.

Enquanto Orsine bala dava, o sino badalava.

Essa pessoa assobia enquanto amassa e assa a massa da paçoca de amendoim.

Essa trava é uma trova pra te entravar. Entravar com uma trova é uma trava de lascar.

Eu cantarolaria, ele cantarolaria, nós cantarolaríamos, eles cantarolariam.

Eu congelo a água gelada com gelo que tem selo à prova d’água.

Farinha fofa faz muita fofoca feia.

Fia, fio a fio, fino fio, frio a frio.

Fiz um macarrão com camarão e sem caramujo, pois com caramujo o macarrão não teria gosto de camarão.

Fui à loja do senhor Bolas comprar bolas. Ora bolas para o senhor Bolas, que não tinha bolas na loja de bolas.

Gato escondido com rabo de fora está mais escondido que rabo escondido com gato de fora.

Lá em cima daquele morro mora aranha, mora arara. Quando arara arranha aranha, aranha arranha arara.

Lá vem o velho Félix com um fole velho nas costas. Tanto fede o velho Félix quanto o velho fole fede.

Lanço o laço no salão. O lenço lanço, a lança não.

Larga a tia, lagartixa! Lagartixa, larga a tia! Só no dia em que sua tia chamar “largatixa” de lagartixa.

Luzia lustrava o lustre listrado e o lustre listrado com luz luzia.

Meia meia feita, meia meia por fazer. Contando meia por meia, quantas meias hei de ter?

Meu pai se chama Caco, minha mãe Caca Maria; ai, meu Deus, que tanto caco! Eu sou filho da cacaria…

Minha mãe é de Jaguamimbaba, mas eu nasci em Jaguanambi.

Não sei se é fato ou se é fita. Não sei se é fita ou se é fato. O fato é que você me fita. E fita mesmo de fato.

Não tem truque, troque o trinco, traga o troco e tire o trapo do prato.

Nas jaulas o jaguar girando, javalis selvagens, jararacas e jiboias, girafas gigantes gingando com jeito de gente.

No alto da torre sonha Carolina. Debaixo da parreira brinca Marina.

No cume daquele morro tem uma cobra enrodilhada. Quem a cobra desenrodilhar, bom desenrodilhador será.

No morro chato tem uma moça chata com um tacho chato no chato da cabeça. Moça chata, esse tacho chato é seu?

Norma nina o nenê da Neuza.

Num ninho de mafagafos há sete mafagafinhos. Quem os desmafagafizar bom desmafagafizador será.

Nunca vi pinto comer sem bico, e nunca vi bico sem pinto comer.

O atleta atravessou o Atlântico com o Atlas de atalaia.

O café está fraco, frio, com formiga no fundo, fazendo fofoca.

O caju do Juca e a jaca do cajá, o jacá da Juju e o caju do Cacá.

O cozinheiro cochichou que havia cozido chuchu chocho num tacho sujo.

O dedo do Dudu é duro.

O gago gagá aguou o gogó da águia com água.

O Juca ajuda: encaixa a caixa, agacha, engraxa.

O padre pouca capa tem porque pouca capa compra.

O Papa papa o papo do pato.

O princípio principal do príncipe principiava principalmente no princípio principesco da princesa.

O que é que Cacá quer? Cacá quer caqui. Qual caqui que Cacá quer? Cacá quer qualquer caqui.

O rato roeu a rolha da garrafa da rainha.

O rato roeu a roupa do rei de Roma. O rato roeu a roupa do rei da Rússia. O rato roeu o rabo do rodovalho. O rato a roer roía. E a Rosa Rita Ramalho do rato a roer se ria.

O rato roeu o rabo da raposa.

O Rei de Roma ruma a Madri.

O sabiá não sabia que o sábio sabia que o sabiá não sabia assobiar.

O tatuador tatuado tatuou a tatua do tatu. Tatua tatuada enfezada, tatuou o tatu e o tatuador já tatuado!

O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo o tempo tem.

O vento veloz e vingativo varre a várzea com violência voraz.

Olha o sapo dentro do saco. O saco com o sapo dentro. O sapo batendo papo e o papo soltando vento.

Pardal pardo, por que palras? – Palro sempre e palrarei, porque sou o pardal pardo, o palrador d’el-rei.

Passei por debaixo da cerca, comendo um pedaço de ameixa seca.

Paulo Pereira Pinto Peixoto, pobre pintor português, pinta perfeitamente portas, paredes e pias, por parco preço, patrão.

“Pedreiro da catedral, está aqui o padre Pedro?” “Qual padre Pedro?” “O padre Pedro Pires Pisco Pascoal.” “Aqui na catedral tem três padres Pedros Pires Piscos Pascoais. Como em outras catedrais.”

Pedro pediu permissão para passar pelo portão para pegar o pinto pelado pelo pescoço.

Pedro Pereira Pedrosa pediu passagem para Pirapora.

Pedro pregou um prego na porta preta.

Pedro tem o peito preto. Preto é o peito de Pedro. Quem disser que o peito de Pedro não é preto, tem o peito mais preto que o peito de Pedro.

Quando digo digo, digo digo, não digo Diogo. Quando digo Diogo, digo Diogo, não digo digo.

Quando toca a retreta na praça repleta, se cala o trombone, se toca a trombeta.

Quatro guardas esquálidos aguardam a esquadra.

Quem a paca cara compra, paca cara pagará.

Quem pouco coco come, pouco coco compra. Como pouco coco como, pouco coco compro.

Sabendo o que sei e sabendo o que sabes, e o que não sabes e o que não sabemos, ambos saberemos se somos sábios, sabidos ou simplesmente saberemos se somos sabedores.

Se a aranha arranha a rã, se a rã arranha a aranha, como arranha a aranha a rã? Como a rã arranha a aranha?

Se a liga me ligasse eu também ligava a liga. Como a liga não me liga eu também não ligo a liga.

Se cada um vai a casa de cada um é porque cada um quer que cada um lá vá. Porque se cada um não fosse a casa de cada um é porque cada um não queria que cada um fosse lá.

Se não passasse quem passou, passava quem não passou, mas como passou quem passou, não passou quem não passou.

Se o papa papasse papa, se o papa papasse pão, o papa papava tudo, seria o papa papão.

Se vaivém fosse e viesse, vaivém ia, mas como vaivém vai e não vem, vaivém não vai.

Sobre aquela serra há uma arara loura. A arara loura falará? Fala, arara loura.

Tacho sujo, chuchu chocho.

Tatu tauató, tatuetê taí. Tem tanto tatu, não tem tatuí.

Tecelão tece o tecido em sete sedas de Sião. Tem sido a seda tecida na sorte do tecelão.

Teto sujo, chão sujo.

Tinha tanta tia tantã. Tinha tanta anta antiga. Tinha tanta anta que era tia. Tinha tanta tia que era anta.

Titia toca a tropa com o trapo do prato.

Toco preto, porco fresco, corpo crespo.

Três dragões graduados e trinta brincos trincados.

Três tigres tristes para três pratos de trigo. Três pratos de trigo para três tigres tristes.

Um guará gago gagueja, um gato gago não mia.

Um limão, mil limões, um milhão de limões.

Uma trinca de trancas trancou Tancredo.

Zeca joga. Joga Zico. Juca joga. Joga Joca.

Uma resposta a Trava-línguas

  1. Mariana diz:

    ÉÉÉÉÉ BBBBBBBBBBrrrrrrrrrruuuuuuuuuuttttttttttaaaaaaaaallllllllll

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s