Aquivos por Autor: paulobecker61

Mar bravo

Mar que ouvi sempre cantar murmúrios Na doce queixa das elegias, Como se fosses, nas tardes frias De tons purpúreos, A voz das minhas melancolias: Com que delícia neste infortúnio, Com que selvagem, profundo gozo, Hoje te vejo bater raivoso, … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Adeus, my Captain

O Captain ! my Captain ! our fearful trip is done (Walt Whitman) Gente sem rosto, gente sem nome, gente sem conta, de sul a norte, exposta aos trancos brutos da vida, sonhava um dia trocar de filme, sonhava um … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Sabença

Às vezes, penso que sei alguma coisa. Às vezes, penso que não sei nada. Nunca pensei que soubesse tudo. Já é alguma coisa.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Carpe diem

Ser jovem? Ser velho? Tanto faz como tanto fez. Só se vive um dia de cada vez.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Bruce lírico

Querendo ser Bruce Lee, comprei um tchaco. Gira pra cá, pega de lá, e pá! Desferi contra a testa tal pancada Que a cabeça saiu pelo sovaco. Acordei com um anjo a costurar-me A testa com as cordas de sua … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Manuel Bandeira, não eu

Manuel Bandeira, não eu, confesso, escreveu o poema sobre a estrela, que entre as colegas da escola me deu glórias de poeta. Também de Bandeira, a declaração de amor que fiz num bilhete para a Alice – mas ela, insensível, … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

Neusa

Minha cara Neusa Rocha, minha cara, nossa cara, a educação, sim, tem cara: é a cara do professor, é a cara da professora que no dia a dia encaram a tarefa de ensinar a palavra e o além-palavra – o … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário