Aquivos por Autor: paulobecker61

Notícias do front

Para Paulo Bentancur, em memória Deitado no quarto, olho o dia morrer na janela. O dia que, se nada trouxe, tudo leva. Pouco a pouco, mergulho, junto às coisas, na penumbra. Mas, vivente insone, salto da cama e acendo a … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Homo sapiens

O que eu queria mesmo É que as pessoas Fossem mais burras Burras como a generosidade Que dá sem esperar Nada em troca Burras como o amor Que não calcula o risco E se joga Burras como a esperança Que … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Pensão da tia Lucena

Na estrada esburacada de barro vermelho as fachadas das casas têm cor de poeira Pretinhos nus se banham nas margens do riacho no calor abafado do final da tarde Retorno ao quarto da pensão da tia Lucena enquanto o sol … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Ostra

O poeta é um pouco a ostra Forma a pérola sob maremotos

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Noite tempestuosa

Cai, chuva, cai sobre a terra viúva. Abranda o crispamento dos relâmpagos cortando o céu a seco em zigue-zague e o atroar irritado dos trovões. Vem surdinar nos vidros da janela com teus dedos de fêmea um baticum como o … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Tubarões

Tubarões comem camarão De vinho são mata-borrão Suas vidas, suas cinturas, um acúmulo de gorduras Têm uma consciência de esmolas Sua arte é um colchão de molas Fazem sauna dentro dos ternos Chocam almas com vida eterna Têm estimulantes pra … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas | Publicar um comentário

Medonho

O louco da cidade É um espelho às avessas Em que ninguém se quer ver. O louco da cidade É um eterno Judas Em Sábado de Aleluia. O louco da cidade É uma placa afixada Nas fronteiras do caos. O … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário