Enguiço

A luz nos ilumina na cozinha.
A energia elétrica circula pelos fios,
vinda de distantes centrais geradoras.
O gás aquece a pizza no forno.
Lavo as mãos na pia. A água jorra da torneira,
atravessando a parede dentro dos canos.
Falo contigo. As ideias circulam através das palavras.
Com tanta riqueza à nossa volta,
ocorre nos sentirmos pobres.
Ocorre que as ideias trombam, e as palavras enguiçam.

Tu cortas a pizza. Brindamos,
por hábito. No silêncio da sala,
Mignone inventa uma valsa para piano.
Se tudo corresse bem,
ríamos agora de coisas passadas.
Fazíamos planos, talvez.
E não acontecia este poema.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s