Bruce lírico

Querendo ser Bruce Lee, comprei um tchaco.
Gira pra cá, pega de lá, e pá!
Desferi contra a testa tal pancada
Que a cabeça saiu pelo sovaco.

Acordei com um anjo a costurar-me
A testa com as cordas de sua harpa.
Sofro alucinações desde essa época.
Adeus artes marciais. Virei poeta.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s