Toco

Para José e Woniva, meus pais

Atrás de casa tinha um toco enorme
oco
onde se jogavam copos quebrados
cacos de louça lâmpadas
vidros de remédio latas parafusos
tudo

Pequeno
cacei ali meu tesouro
de cores
e formas
e cheiros
Herói real na tarde imaginária
voltei a escondê-lo no toco

O toco
cumulou-se de destroços sem novidade
Folhas voaram para dentro dele e apodreceram
Musgos cobriram-no
Samambaias
Desprezo
O tempo atravessou-o num raio
Aranhas tomam suas frestas

Sou eu

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s