Parto difícil

O poema tem parto difícil
Desentranha lenta pedra
do coração do poeta
Deixa membranas, veias, pele
por cortar

O poema vai-se formando aos poucos, sorrateiro,
até chegar o momento em que é o poeta
quem resta para dentro do poema,
em palavras, silêncios e receios

O poema tem parto difícil
E qualquer cesariana
pode perdê-lo

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s