Viver, verbo intransitivo

O dia está tinindo
de tão novo,
de tão limpo

Vontade de ser sino
e vibrar no ar
blém-blom, blém-blom
o gozo de estar vivo

Tenho um passado
Não posso livrar-me disso
Tenho um futuro
Dele também não me livro
Mas giro no vórtice
do aqui e agora

Só o esquecimento é que condensa,
e então minha alma servirá de abrigo

Não estou no tempo, sou tempo
blém-blom
vivo, pulsante
blém-blom
entre quatro paredes
blém-blom
na rua, a céu aberto
blém-blom
na terra, no mar, no ar
blém-blom
num parêntese do universo
blém-blom
a vibrar, inaudível,
blém-blom
a batida da vida infinita

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s