Dublê de alma

Salto da dor
em movimento.
Ponho a correr
gangues de mágoas.
Encaro o medo
maior que eu.

Rio da minha
vaidade exposta.
Troço do amor,
triste pedinte.
Saio da dança
da indecisão.

Rezo. Blasfemo.
Me desconheço.
Pêndulo cego,
jogo entre extremos.
Mando pro inferno.
Entrego a Deus.

PS: Nunca
repita em casa
isso que faço
sem a ajuda
de um poeta,
dublê de alma.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s