Caderno de recordações

Anelise bonita e caprichosa não sabia
onde guardar a beleza da aurora
a graça dos gatinhos recém-nascidos
o amor-perfeito que lhe dei
Anelise não tinha coração

O coração de Anelise era um caderno de recordações
de capa dura e lustrosa e páginas coloridas
Nele recolhia as lembranças dos colegas de aula
as amizades e os miúdos namoros
No final do ano, iam para o fundo do baú e lá ficavam

E lá ficaram para sempre meus versos adolescentes
que comparavam sua face sardenta a um céu cheio de estrelas
Ora, direis, um céu sardento. Certo perdeste o senso
Mas eu ardia em febre  a imaginar as sardas eclipsadas pelas vestes
Meu coração plebeu queria pegar sua mão, beijar sua boca, morrer por ela 

Anelise traçava letras perfeitas no caderno de caligrafia

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s